Traumatismos Dentários

Traumatismos Dentários

As fraturas dentárias podem ocorrer associadas a fraturas dos maxilares ou de forma isolada. O diagnóstico e o tratamento dos dentes que foram traumatizados necessitam ser realizados o quanto antes, devendo-se distinguir os casos que merecem intervenção imediata daqueles em que o tratamento é a espera de uma resposta pulpar. As fraturas que envolvem unicamente a coroa dentária podem ser reconstruídas com material à base de resinas compostas, recompondo a estética anterior. É importante lembrar que mesmo os dentes que foram traumatizados e não sofreram fratura podem ter sua vitalidade comprometida (necrose da polpa), pois a força do impacto não foi dissipada pelo traço da fratura. Dois fatores devem ser considerados no tratamento do dente traumatizado:

1. Tipo de traumatismo
2. Tipo de dentição;
2.1 Decídua: Chamados de dentes de leite, os traumas que envolvem esses dentes apresentam uma abordagem diferente devido à presença dos germes dos dentes permanentes próximos a eles, sendo importante o diagnóstico precoce de morte pulpar para que não afete o desenvolvimento da arcada permanente. O reimplante é contra-indicado, devido à possibilidade de complicações na futura dentição.

2.2 Permanente: Deve-se distinguir os dentes jovens daqueles que estão há mais tempo na boca, levando em consideração sua época de erupção (aparecimento na arcada). Esse é um fator determinante do sucesso no tratamento.

Avulsão Dentária
É a saída completa do elemento dentário de seu local de inserção. O tratamento na dentição permanente é o reimplante imediato. O procedimento deve ser realizado o quanto antes, pelo próprio paciente ou alguém que possa socorrê-lo, da seguinte forma:
  • Comprimir o local sangrante com uma gaze ou pano limpo.
  • Segurar o dente pela coroa, sem tocar na raiz;
  • Colocá-lo suavemente na posição, podendo mantê-lo seguro com uma das mãos ou em oclusão dentária até o atendimento especializado.
  • Em caso de queda do dente em lugar sujo, lavá-lo antes do reimplante, com soro fisiológico, sem esfregá-lo.
  • Caso não se consiga reimplantá-lo é importante mantê-lo em um frasco com leite gelado, sem manipulá-lo até o atendimento, que deve ser realizado, sempre que possível, até 45 minutos, depois do qual o índice de sucesso começa a decair.
Há casos porém, em que realizamos reimplantes mesmo depois de 10 dias (reimplante tardio), com sucesso relativo. Os dentes reimplantados sofrem o que chamamos de reabsorção, caracterizada pela substituição da raiz dentária por osso alveolar, levando à queda futura. O início da reabsorção e o tempo de permanência desse dente no arco são influenciados por uma série de fatores, como: tempo do dente fora da boca, tipo de fixação usada, tratamento de canal realizado, entre outros. O importante é que se procure ajuda profissional nesses casos, o quanto antes.

Veja algumas imagens




Tipos de traumatismos dentários
« Voltar

Desenvolvido por

Clínica Dr. Martins de Cirurgia Maxilofacial


Rua Armando Odebrecht, 70 - Salas 807 - 808 (Centro Clínico Santa Catarina) - Blumenau - Santa Catarina
Fone: (47) 3322-4389